BONITO / MS

31�

21�

quarta, 27 de outubro de 2021

quinta, 26 de agosto de 2010

Bonito pra Caramba!!!

Bem, parafraseei meu amigo e jornalista Eduardo Petta, que em outubro passado realizou comigo um importante trabalho para o Guia Unibanco da editora BEI, quando visitamos durante um mês inteiro fizemos um mapeamento turístico da região da Bodoquena, abrangendo Jardim, Bonito e Bodoquena, assim como Porto Murtinho e Campo Grande. Foram visitas aos pontos turísticos, gastronômicos, culturais e hotelaria destas cidades citadas.

Na realidade Eduardo dizia a frase acima em outras palavras, que prefiro não reproduzir aqui, mas reproduzo o êxtase que este experiente jornalista sentia ao visualizar cada cachoeira, rio e aspecto de nossa bela região.

Geralmente nós, sulmatogrossenses, que vivemos nessa terra, ou mesmo emigrantes que aqui se estabeleceram, nos acostumamos com a maravilha que é este Estado, e nos passam muitas vezes despercebidas as qualidades desta terra.

Mas basta estarmos na presença de um turista que aqui visita pela primeira vez, que acordamos de novo à realidade.

Nosso roteiro, pois compúnhamos uma das três equipes designadas para o Estado, começou em Campo Grande, a capital do Mato Grosso do Sul.

Aqui traçamos um roteiro abrangente, visitando os principais prédios da cidade, como a morada dos Bais, a torre da TVE, o Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo; as atrações culturais, como a casa do artesão, o museu do Índio e outros; a natureza presente na cidade mais arborizada do Brasil, em belos parques como o Soter, o Parque das Nações Indígenas e outros; enfim, foi um começo de trabalho interessante, principalmente no ponto gastronômico, onde não poderia faltar a lingüiça de Maracaju e nosso tradicional sobá da feira municipal.

Desde a Capital partimos para Porto Murtinho, uma cidade muito charmosa, a beira do volumoso rio Paraguai, foi uma surpresa presenciar o incomparável pôr do sol da região. Sentimos, porém, que ainda falta muito para a cidade estar pronta para o turismo, pois a presença da prostituição nas ruas ainda é latente e a falta de investimentos na hotelaria e infra-estrutura é notável.

De lá fomos a Jardim, uma cidade muito mais preparada, que oferece algumas opções de hotéis e o delicioso restaurante O Caipira, onde fomos positivamente surpreendidos com o melhor da comida regional. Dentro do município de Jardim estão importantes passeios vendidos em Bonito, como o Rio da Prata e o Buraco das Araras, os dois imperdíveis, somando-se a estes o balneário municipal da cidade, que está bem estruturado para receber turistas.

Tentamos incluir Bodoquena no roteiro, mas de destaque, e em pleno funcionamento, atualmente apenas o estupendo passeio da Boca da Onça merece destaque. O município de Bodoquena abriga lugares paradisíacos, mas seria uma irresponsabilidade recomendar um destino ainda em fase embrionária, pois a região é muito frágil, e a cidade em si não está ainda pronta para grande fluxo turístico.

Deixei, no entanto, a melhor parte para o final: a visita a Bonito.

Bem, vou tentar ser coeso. Bonito é um fenômeno em todo o Brasil, principalmente para nós que acompanhamos de perto o seu desenvolvimento. Situado na região da Serra da Bodoquena, a cidade, inicialmente dependente da pecuária, revelou-se ao mundo a partir do momento em que locais e visitantes começaram a explorar suas belezas turisticamente.


Foto: Namour Filho

A região é formada por um relevo bem irregular, com muitas cachoeiras, rios cristalinos e uma fauna e flora riquíssimas. Tudo isso somado ao charme de pertencer a este Estado maravilhosamente miscigenado. Era a fórmula perfeita.

A partir de um inicio tímido na década de oitenta, empresários de visão organizaram na década de noventa todo o processo ao qual a atividade se desenvolveria. E assim ocorreu. Com bases organizadas e sólidas o turismo cresceu assustadoramente. Hoje a cidade enfrenta problemas comuns de outros destinos com a mesma característica, como o impacto ambiental, o problema de esgoto e outros. Mas não se pode negar que o turismo esta organizado, e que estes problemas caminham para serem bem minimizados.

Mas vamos ao que interessa.

Bonito é uma cidade que hoje oferece mais de oitenta estabelecimentos hoteleiros, dentre estes albergue, pousadas, hotéis de todos os portes e resorts. Possui bons restaurantes com gastronomia local, tendo como ponto forte principalmente os peixes da região (que não são pescados no município, diga-se de passagem); além bares animados, com destaque ao nacionalmente famoso Taboa (com a cachaça de mesmo nome). Complementando esta estrutura estão os bancos, supermercados, conveniências, postos de combustível e todo o aparato estatal com seus órgãos principais.

Hoje são oferecidos mais de quarenta passeios em Bonito, para todos os gostos, e todas a idades.
Há passeios contemplativos, como as flutuações do Rio da Prata, Rio Sucuri, Aquário e Bonito Aventura. Nestes o turista passa horas mergulhando em rios transparentes, cercados de uma fauna magnífica, com milhares de peixes, e uma rica e colorida flora dentro e fora dos rios.

Há os passeios de trilha, em que o turista caminha pela mata, contempla belas paisagens, conhece as espécies nativas e se delicia com as volumosas cachoeiras, enumero alguns interessantes, como a Boca da Onça, que é um passeio longo mas extremamente compensador, com sua cachoeira de mais de 150 metros; a Estância Mimosa, com sua trilha bem planejada, mirantes e cachoeiras deliciosas; o Parque das Cachoeiras, que divide algumas destas com o passeio da Mimosa, mas que possui ângulos completamente diferentes e igualmente impressionantes; o famoso passeio do Rio do Peixe, que possui um dos almoços mais famosos da região, eu uma sede cercada de animais; o Ceita Core, com sua bucólica sede, sua galeria subterrânea e lindas cachoeiras; o Aquidaban, que possui um dos cenários mais lindos da Serra da Bodoquena, e outros.

Além dessas atrações há opções de balneários, como o Municipal, da Figueira, Monte Cristo e outros; o Circuito Arvorismo, uma caminhada sobre a copa das árvores; o passeio de bote e o bóia cross, além disso as operadoras oferecem cursos de mergulho com batismo nas águas do Rio da Prata. Enfim, sei que deixei de citar algumas atrações, não menos atraentes, mas estou apenas dando um norte.

Bonito está servida de agencias e operadoras, porém algumas se destacam pelo profissionalismo e bom atendimento, como a Agência Ar, a Ygarapé, a Tamanduá e a Impacto, todas altamente recomendáveis.

Certamente este breve mapa que tracei estará bem mais detalhado nas letras de Eduardo Petta, já que meu trabalho era, na ocasião, fazer as fotografias de todo este apanhado.
Espero que gostem do guia e que, principalmente, visitem e desfrutem de tudo que o Mato Grosso do Sul pode oferecer.

COLUNISTA

Arlindo Namour Filho

namourfilho@portalbonito.com.br

Arlindo Namour Filho, 28 anos, residente em Campo Grande - MS. Formação superior em Direito e Turismo, fotógrafo profissional e repórter e articulista de turismo desde 1999, escreveu nos jornais O Palanque e A Crítica, e escreve atualmente na revista O Palanque VIP e no portal Campo Grande News.

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: