BONITO / MS

31º

21º

segunda, 26 de junho de 2017

Abismo Anhumas

O "Buraco", como é tratado com muita intimidade por seus monitores, é um dos locais mais lindos de Bonito. É onde pode-se dizer, uma verdadeira viagem ao centro da terra - uma descida de 72 m em rapel, por uma fenda na rocha, leva a uma caverna com magníficas formações e um lago de águas cristalinas onde pode-se flutuar e ver reveladas as belezas subaquáticas do lugar.

A aventura começa na cidade, às 18:00 hs do dia anterior, onde é feito o treinamento de rapel em uma torre de 8 metros - muito importante para a segurança do passeio; é nesta hora que a habilidade dos monitores fica mais aguçada, pois com muita percepção analisam quem pode ou não descer o Abismo: cardíacos, diabéticos e portadores de problemas nervosos ou psíquicos, assim como, pessoas muito obesas, são informadas da impossibilidade de fazer a descida. Tudo com muito profissionalismo e seriedade exigida nesta aventura radical. É na parede que sua adrenalina começa a disparar, onde você sente o que vem pela frente, ou melhor, por baixo. Até aí já se tem uma pequena idéia, mas nada comparado ao que o Anhumas ainda vai mostrar lá embaixo.

Segue-se então, por uma distância de 23 km em estrada de terra, até chegar em uma abertura no chão que despenca como um abismo vertical. Tudo está apenas começando, mas o coração já bate muito rápido. Os monitores começam a vistoriar o equipamento - mosquetões, descensores tipo stop, cordas de segurança, luvas e capacetes (todo o equipamento é vistoriado e substituido com regularidade, observado sua vida-útil).

No máximo 16 pessoas por dia podem fazer esta aventura, a limitação dá-se ao fato da segurança aliado a preservação ambiental. Os aventureiros começam a ser equipados dois a dois; os demais ficam observando cada movimento dos monitores; sente-se no ar o medo de cada um estampado em suas faces... A "galera" (monitores) ajuda com brincadeiras, descontraindo à todos, e, mostrando a segurança e seriedade com que conduzem esta aventura - possuem cursos de escalada, resgate e primeiros-socorros.

Chegou a vez..., um olha para o outro como se perguntasse: "Está mesmo afim?". Já colocados na fenda prontos para a descida, que é feita dois a dois, ligados um ao outro, não se pensa em nada, pois o coração já bate em disparada e a adrenalina toma conta de tudo. Começa a descida passando por aproximadamente10 m em uma fenda muito estreita, até chegar à grande abertura; daí em diante, quem tiver coragem olha para baixo e vê os outros que desceram antes, sobre um deck flutuante como se fossem pequenos insetos. A rápida descida leva mais ou menos 5 minutos.

Quando chega-se ao fundo dos 72 m, sente-se a enorme presença de Deus e a insignificância do homem. Uma vez no deck, com as pernas ainda trêmulas e o coração retornando aos poucos a seu ritmo normal, observa-se a grandiosidade do centro da terra esculpido por milhões de anos, gota a gota d'água, formando as mais lindas estalactites e estalagmites, com formas variadas onde a imaginação de cada um visualiza seres e objetos diferentes. O lago com um volume de água aproximado de 24.000 m3 e de profundidade aproximada de 80 m, tem uma transparência que nos mostra mais de 20 cones submersos de formação calcária, onde a natureza mais uma vez nos presenteia com seu poder e perfeição. O primeiro passo lá embaixo, é colocar a roupa de neoprene que deve ser locada um dia antes em agência de turismo, e flutuar sobre o imenso lago, onde você ao mesmo tempo que admira a natureza, sente uma paz tão grande que lhe possibilita momentos de introspecção.

Para quem detém credencial de curso de mergulho básico, é possível mergulhar até a profundidade de 18 m, num circuito de 177 m pré estabelecidos no fundo do lago, em águas à temperatura de 17ºC, devendo-se contratar, com antecedência, em agência de turismo local, o mergulho autônomo. O limite máximo admitido no grupo de 16 pessoas, é somente 4 para o mergulho.

Um bote de apoio leva a um passeio onde pode-se avistar a parte seca da gruta - não é permitido a descer do bote; nesta parte do passeio você observa o lado fantástico da natureza em formas jamais imaginadas. Aí observa-se váriados espeleotemas, as formas em que a natureza se transforma são algo de deixar qualquer ser humano sentindo-se mais uma vez muito pequeno.

Depois de "almoçar" (deve-se levar lanche leve e água - energéticos de preferência) sobre o deck flutuante diante da imensidão da caverna, onde parece que o mundo acabou e os únicos sobreviventes estão alí. Um breve descanso, onde muita história é contada e as emoções divididas. Inicia-se o retorno, mais uma vez dois a dois.

A subida é realizada com auxílio do "croll e punho" (blocantes); novamente os monitores verificam o equipamento. Agora o "medo" já não é tanto, e mais descontraído pode-se observar do alto através da cristalina água do lago os cones submersos, e as paredes que envolvem este paraíso. Diferente dadescida, o percurso agora é feito lentamente, onde uma sensação de liberdade tão grande envolve o aventureiro. A cada metro que se sobe novas descobertas acontecem - nossa mente torna-se pequena para assimilar tudo ao mesmo tempo. No meio da subida perde-se o sentido da distância, lá embaixo tudo é muito pequeno, e a fenda, acima, vista pela luz que ultrapassa, as vezes parece próxima, outras não.

Faltando aproximadamente 10 m da fenda, entra-se no "funíl" onde o espaço reduz e começa o furor da vitória. Nesta hora vemos o quanto devemos respeitar a imponência da natureza. Na "boca" do grande "buraco" monitores aguardam para o "resgate", e mais uma vez mostram que esta aventura depende de muita seriedade e profissionalismo.

Após a saída, tudo é motivo de comemoração, sente-se uma vontade imensa de agradecer à Deus nossa existência e tudo mais que nos cerca. Cansados pela subida, a água é o grande prêmio, como se fosse o objetivo desde lá embaixo. Sentimos depois de tudo, que o homem não deveria morrer sem antes descer e subir o Anhumas.

Informações importantes: O translado até o Abismo é por conta do turista. Levar camiseta; calça, moleton ou bermudão; tênis e meias; toalha; roupa de banho; lanche e água (energéticos preferencialmente); máquina fotográfica e repelente (que poderá ser usado somente após a subida).

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: