BONITO / MS

31º

21º

domingo, 16 de junho de 2019

terça, 28 de maio de 2019

Festival de Inverno levará espetáculos para assentamentos e distritos de Bonito

Bonito Informa

(Foto: Divulgação dos grupos / Alberto Rocha)

Firmes como pedra e fluidas como água, cada vértebra possui uma coluna e um sistema nervoso próprio. O Vertebral alterna desse modo, composições coletivas e sós, mudando e dinamizando a trama visual.

A coreografia é de Weidysan e Monica Alla, com interpretação-criação de Alan Quinquinel, Diego Oliveira, Dheborah Giorgia, Flor Reeves, Gita Govinda, Jacques Alejo, Joy Domingoz, Lana Borges, Laila Rebelo e Luciene Bafa. Cantora: Lana Borges e figurinos de Márcio Vinícius.

E como não poderia ficar de fora, o circo estará presente no Festival no dia 26, no Palco da Praça, às 19 horas, com o “Espetáculo do Circo Zanni”. Circo Zanni surgiu com o intuito de resgatar a importância dos espetáculos de circo apresentados na lona em centros urbanos. O novo espetáculo do Circo Zanni dentro da lona de circo, resgata a magia e a tradição do espetáculo circense reinventado com excelência para o público das cidades por onde ele tem passado.verno de Bonito 2019 traz uma programação na área de Artes Cênicas recheada de novidades, para agradar a todos os públicos. Vai ter teatro infantil de bonecos, teatro de sombras, dança vertical, circo de variedades e teatro popular, no Palco da Praça, no Centro de Bonito, e também nos distritos e assentamentos dos arredores.

“O Festival de Bonito é um momento ímpar para a Cultura de Mato Grosso do Sul, e levar teatro, circo e dança não só para a população do Estado e para os turistas do Brasil e do mundo, mas também para os bairros e lugares onde o acesso a essas apresentações é mais difícil, é muito importante e gratificante”, afirma Mara Caseiro, diretora-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

A programação começa no dia 20 de julho, no Distrito Águas de Miranda, com o espetáculo “Iara – O encanto das águas”, da Cia Lumiato. Este espetáculo infanto-juvenil de teatro de sombras, inspirado na lenda da Iara, a sereia brasileira, e nos saberes da tradição oral dos povos originários do Brasil, é de classificação livre, com 40 minutos de duração.

A encenação usa a dinâmica cinematográfica, onde o espectador tem a impressão de estar assistindo um filme. A narrativa é de fácil entendimento, utilizando pouco texto. Depois da apresentação o público pode ver de perto o material cênico do espetáculo e bater um papo com os artistas. A direção, dramaturgia e cenografia é de Alexandre Fávero, encenada pelos atores sombristas Thiago Bresani e Soledad Garcia.

O espetáculo será apresentado também no dia 21, no Assentamento Guaicurus e no dia 25, na Caixa Cênica, em Bonito. A Cia Lumiato ministra uma Oficina de teatro de sombras nos dias 22, 23 e 24 de julho, das 18 às 22 horas.

A Cia Trucks, de São Paulo, traz o espetáculo “Expedição Pacífico” para o Festival. No dia 22, a apresentação será na Vila Machado, às 18 horas; no dia 23, no Bairro Planalto e Vila América, às 18 horas; no dia 24, no Bairro Marambaia, às 18 horas e no dia 26, na Caixa Cênica, em Bonito.

“Expedição Pacífico” é o mais novo espetáculo da Cia Trucks, em que o grupo trata de fazer, da grande Ilha de lixo que cresce a cada dia em algum ponto do Oceano Pacífico, cuja extensão já é maior do que vários Estados do Brasil juntos, uma sutil alegoria de situações da cidade de São Paulo. Na Grande Ilha de Lixo do Pacífico é que vão parar toda a sorte de detritos e rejeitos da nossa humanidade.

Conduzindo uma carroça de lixo repleta de descartes, vemos, nas figuras de dois “carroceiros”, o ser humano marginalizado pela sociedade, tratado à deriva pelos asfaltos, tal como o lixo que navega pelo oceano. Os dois criativos catadores de lixo são capazes de construir, de quase nada – apenas sacolas e lonas plásticas – um mundo fantástico, de diversão, bom humor e muitos sonhos. Na medida em que recolhem o lixo da grande cidade, o transformam em verdadeira poesia visual, criando belíssimas imagens, divertidas criaturas e incríveis cenários para onde são capazes de viajar, e onde viverão as suas pequenas aventuras e brincadeiras.

O texto é de Henrique Sitchin, Gabriel Sitchin e Rogério Uchoas, com direção de Henrique Sitchin. No elenco, Gabriel Sitchin e Rogério Uchoas.

O Palco da Praça recebe no dia 25, às 19 horas, o espetáculo “Vertebral” do Grupo Ares de dança. O Espetáculo tem uma área de investigação na qual a presença do risco permanente atravessa o corpo dançante e acrobático em situações de desequilíbrio, suspensão, torções, queda e recuperação.

O Circo Zanni foi criado em 2004 por Isabella Mucci, Fernando Sampaio, Domingos Montagner, Marcelo Lujan, Pablo Nordio, Luciana Menin, Erica Stoppel, Maíra Campos e Daniel Pedro, artistas circenses com formação e características diversificadas. E um espetáculo de variedades, com uma estrutura próxima do circo clássico, com banda ao vivo formada pelos seus acrobatas, trapezistas, palhaços e malabaristas.

Encerrando a programação de Artes Cênicas, o Grupo Galpão traz a Bonito no dia 27, às 18 horas, a peça “Os gigantes da montanha”, fábula escrita por Luigi Pirandello. A peça narra a chegada de uma companhia teatral decadente a uma vila mágica, povoada por fantasmas e governada pelo Mago Cotrone.

É uma alegoria sobre o valor do teatro e, por extensão, da poesia e da arte e sua capacidade de comunicação com o mundo moderno, cada vez mais pragmático e empenhado nos afazeres materiais. A classificação é livre, e a duração é de 90 minutos. Direção de Gabriel Villela e dramaturgia de Eduardo Moreira e Gabriel Villela.

Mais informações sobre a programação no Núcleo de Artes Cênicas da FCMS, pelo telefone (67): 3316-9171.


COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: