BONITO / MS

31�

21�

quarta, 27 de outubro de 2021

quinta, 26 de agosto de 2010

Turismo de Aventura já tem normas

Turismo de Aventura já tem normas para orientar a atividade

O turismo de aventura é um dos segmentos que mais cresce atualmente em todo o mundo e particularmente no Brasil, cujas belezas naturais e grandiosidade permitem a realização de uma infinidade de atividades em diversos destinos turísticos. Estima-se que hoje existam no país mais de 2.700 organizações relacionadas ao setor. Por estar, na maior parte das vezes, relacionado a atividades na natureza, o turismo de aventura é constantemente associado a situações de risco, que podem levar a acidentes.

Com o objetivo de criar referências para a operação segura e responsável do turismo de aventura brasileiro, e contribuir para minimizar os riscos e prevenir acidentes, em 2003, o Ministério do Turismo criou o Projeto de Normalização em Turismo de Aventura, executado pelo Instituto de Hospitalidade. Inédito no Brasil, o projeto, que acaba de ser finalizado, contemplou o desenvolvimento de 24 normas técnicas, criadas no âmbito da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), com ampla participação da sociedade, através de reuniões presenciais e de consulta pública aos demais interessados.

O conjunto de normas tem foco na segurança, possibilitando que operadoras e condutores de turismo de aventura, bem como responsáveis por Parques Nacionais (Unidades de Conservação), possam obter informações importantes para aprimorar os serviços oferecidos aos clientes. Doze dessas normas já estão publicadas como Normas Brasileiras.

A principal delas trata do sistema de gestão da segurança, voltada às empresas que oferecem serviços de turismo de aventura e implementam processos de identificação dos perigos e gerenciamento de riscos. A norma também objetiva a disseminação da cultura de prevenção de acidentes e prevê as ações necessárias para uma preparação de atendimento a emergências. Outras normas importantes são a de competências mínimas do condutor, e a de informações mínimas preliminares a clientes.

O Manual de Criação e Organização de Grupos Voluntários de Busca e Salvamento de Turismo de Aventura é outro fruto do projeto de normalização. O documento orienta como estes grupos podem se organizar para estar aptos a atuar em atendimentos de busca e salvamento de clientes. Vale ressaltar que os Grupos Voluntários apóiam a atuação do Sistema Nacional de Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros, mas não os substituem.

Além do Ministério do Turismo e do IH, o Projeto teve apoio institucional do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – INMETRO, da Associação Brasileira das Empresas de Turismo de Aventura – ABETA, da Associação Férias Vivas – AFV (ONG voltada à conscientização do turista para o turismo seguro e responsável) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae Nacional.

Para mais informações, acesse www.turismodeaventura.org.br.

COLUNISTA

Leo Persi

leo@portalbonito.com.br

Leonardo Persi, Paulistano, administrador, pós-graduado em ecoturismo, guia de turismo Nacional e América do Sul (bilíngüe) e montanhista. Atualmente está como consultor na ABETA em ecoturismo e turismo de aventura, em Belo Horizonte/MG.

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: