BONITO / MS

31�

21�

quarta, 27 de outubro de 2021

quinta, 26 de agosto de 2010

Segurança em Turismo de Aventura

Sempre que preparar a bagagem para uma nova aventura, é imprescindível pensar na sua segurança.

No mercado você pode encontrar diversas lojas oferecendo uma infinidade de equipamentos. Os equipamentos produzidos no Brasil, atualmente, estão cada vez melhores, mostrando que não só os importados são confiáveis ou melhores, isto mudou muito! Existem empresas nacionais que investem em testes e no aperfeiçoamento de seus produtos. Elas estão atentas ao crescimento de vendas no setor, o que é benéfico para nós, pois podemos adquirir por preços mais competitivos o que antes era trazido de outros países, com preços bem salgados, geralmente em função da conversão da moeda (dólar x real). Os importados normalmente possuem certificações internacionais que comprovam suas resistências e limites máximos de uso (entidades como a UIAA - Union Internationale Des Associations DAlpinisme - e CE - European Certification). O INMETRO no Brasil ainda não possui uma área especificamente que certifique tais equipamentos, somente na área do ISO 14001 (Sistemas de Gestão Ambiental). O Ministério do Turismo procura viabilizar uma parceria junto ao INMETRO para que seja criada esta linha de certificação.

Cada atividade requer equipamentos específicos. Evite comprar os que não serão usados nas atividades, até mesmo para evitar peso desnecessário em sua mochila. Peça orientação aos representantes.

Além da utilização de equipamentos adequados para cada atividade, é necessário buscar pessoas capacitadas que tenham conhecimento técnico e prático para que não haja surpresa de última hora. Contratar serviços com profissionais capacitados pode até sair mais caro, mas compensa. Na prática, a maior parte dos acidentes poderia ser evitada se os profissionais envolvidos pensassem em investir parte de seu lucro em cursos ou oficinas de aperfeiçoamento constante. Neste momento vale a velha indicação de amigos ou conhecidos que já foram viajar para o destino escolhido. Assim, você já fará uma peneira dos que têm estórias de maus atendimentos no passado. Mas, além disto, sempre questione este profissional ou sua empresa sobre suas dúvidas, é uma forma positiva de sentir se ele está envolvido com o assunto. E, se possível, contrate monitores e guias locais, para fomentar a economia da região visitada, pois este é o objetivo do ecoturismo.

Além destes cuidados, um seguro viagem pode ajudar, para eventuais necessidades. Contudo, a maioria das seguradoras não cobre os esportes de aventura, ler as condições gerais ao contratar tal seguro é prudente.

Quem quiser também saber um pouco mais sobre regras de mínimo impacto na natureza, ao praticar os esportes de aventura, uma boa dica é o recém-lançado site Pega Leve! (www.pegaleve.org.br), que orienta como praticar atividades ao ar livre de forma a conservar os ecossistemas, apoiado pela WWF - Brasil  e realização do CEU - Centro Excursionista Universitário.

Seja você também um divulgador da segurança e esteja atento nas suas aventuras!

COLUNISTA

Leo Persi

leo@portalbonito.com.br

Leonardo Persi, Paulistano, administrador, pós-graduado em ecoturismo, guia de turismo Nacional e América do Sul (bilíngüe) e montanhista. Atualmente está como consultor na ABETA em ecoturismo e turismo de aventura, em Belo Horizonte/MG.

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: