BONITO / MS

31�

21�

quarta, 20 de outubro de 2021

quinta, 26 de agosto de 2010

A transparência que se turva

Bodoquena – Jardim/Bonito-MS

Na água, o cálcio e/ou magnésio quando na forma de carbonatos, atraem, englobam e arrastam outras partículas, (minerais/silte e orgânicas), depositando-as e contribuindo por assim dizer, para pobreza da diversidade orgânica e de outros minerais como o ferro, alumínio e mesmo o fosfato na massa flutuante.

A presença de íons desses minerais cálcio/magnésio no silte presente na porção líquida, contribui para a maior velocidade de deposição, orientando desde a turbidez, penetrabilidade da luz, até a putrefação da matéria orgânica. Resultado, a água é totalmente transparente.

Importante:
- A decomposição da matéria orgânica ocorre pouco mais lentamente, com menor rapidez,  quando o silte contem
 o Ca e o Mg, percebendo-se corriqueiramente o envolvimento da mesma por esses minerais alcalinos terrosos.
-Ambientes aquáticos na região da Serra da Bodoquena/MS  fartamente  demonstram essa  peculiaridade.

Mas essa água totalmente transparente é capaz de se turvar e até num processo normal. Vejamos...

Parece coisa de mágico, daquele que transforma água em algo parecido com vinho.

Só que no caso da água que falamos, a de alta dureza e alcalinidade, normalmente transparente, chega a se turvar, a se esbranquiçar, com o aparecimento de frágil filme flutuante e quebradiço, formando deposições em base orgânicas ou não.

Neste caso, ou nessas regiões, comum é notar-se, logo pela manhã, flutuando na superfície de um lago ou porção d’água, aquela intrigante nebulosidade, com esbranquiçadas formações.

Mais interessante é a dona de casa quando ao aquecer ou ferver a água,percebe que a mesma se torna branca como o leite.

Ainda mais estranho é o possível processo de formação de marcante e espesso turvamento na superfície de uma lagoa, dependendo da época do ano, em períodos de clima mais quente.

Mistérios, magias, fenômenos? Não! Nada disso.

Trata-se do processo normal, natural e conseqüente em um sistema aquático com certas característica. Entendendo-se como sistema a porção líquida (d’água) contida em uma cavidade natural ou não, podendo estar um lago, lagoa, buraco, depressão, caixa d’ água, chaleira ou até num copo com água.

É a conseqüência ou resultado simplesmente da alteração da temperatura dessa massa líquida, que anteriormente em equilíbrio de energia se apresentava transparente.

Isso advém da troca de energia, ou de calor com o ambiente externo, o que se convencionou chamar de temperatura ambiente. Entenda-se como ambiente o conjunto de sistemas em um mesmo meio.

Água com maior presença de sais, em especial, no nosso caso a água da Bodoquena/MS, com os carbonatos de cálcio e de magnésio, quando em temperatura equilibrada com o ambiente que o cerca, mantêm seus solutos totalmente dissolvidos, ou melhor, mantêm os sais totalmente dissolvidos.

Porém quando da quebra desse equilíbrio, com alteração ou diferenças de temperaturas entre os sistemas, no caso o sistema aquático representado pelo líquido (água) e o sistema físico que a contenha, e o sistema gasoso que o envolve, têm-se  aparecimento de nebulosidades, de glumeros, de filmes e até deposições resultantes da concentração do soluto (carbonatos de cálcio/magnésio), o sal anteriormente dissolvido.

Biogeoquimicamente  falando...

- O fato curioso, de interessante observação ambiental, é que num sistema aquático carbonatado, em lagoa de maior profundidade, situado em área com superfície aberta ou mais exposta, pode-se ver quando do mergulho, (espeleólogos, mergulhadores e turistas da região de Jardim e Bonito-MS que o digam), o intrigante  turvamente na sua inicial camada superior ou primeiros metros de profundidade da massa d’água lêntica, (p.ex., na Lagoa Misteriosa/Jardim-MS), nos períodos de elevação na temperatura ambiente.

Tal fenômeno é resultante primeiro da presença dos bicarbonatos, estes bem mais solúveis, enquanto em temperatura menor, sendo transformados em carbonatos insolúveis, flutuantes e dispersos, (livres sobrenadantes por assim dizer), na massa dágua, pela disposição do calor à massa ou camada d’água.

As formas carbonatadas são mais facilmente instáveis, sob influência das variações físicas, (climáticas, de energia, de calor).

Como sabemos, os carbonatos são formados por íons de cálcio, (e/ou magnésio), nutrientes, que como outros possivelmente presentes, usados pelas microvidas autótrofas presentes em massas líquidas livres, por exemplo o plâncton, (algas diatomáceas e cianofíceas-cianobactérias), que se reproduzem, oferecendo ainda maior turvamente com essa floração.

Só quando da diminuição na temperatura ambiente, perda de calor, é que ocorrerá o retorno à forma de bicarbonatos solúveis, tendo-se na massa d’água sua anterior transparência (**) , assim:

Ca(HCO3) 2  + ┘ calor (incidência) ↔ CO2┘  +  CaCO3  +  H2O  (turvamente  na 1ª  porção  da massa d’ água)

ou então: Mg(HCO3) 2   +  ┘ calor (incidência) ↔ CO2┘  +  MgCO3  +  H2O
 (*) Com uma seletiva  floração, possivelmente  de cianofíces
 e diatomáceas, ocorrendo a fotossíntese:
6CO2 + 6H2O  ↔ C6H12O6 + 6O2 + H2O .
As diatomáceas predominam em ambientes carbonatados-Ca/Mg

Algumas águas podem conter quantidades muito elevadas de alguns sais que nesses casos, a sua elevada concentração orientará uma seleção dos organismos aquáticos, a  princípio  através  do  fator osmótico.

CaCO3 + perda de calor┘H2O  + CO2 (absorção/oriundo) ↔  Ca(HCO3)2  (transparência na  massa d’ água)

MgCO3 + perda de calor┘H2O + CO2 (absorção/oriundo) ↔ Mg(HCO3)2

COLUNISTA

Helcias de Pádua

helcias@portalbonito.com.br

Professor Helcias Bernardo de Pádua, Biólogo-C.F.Bio 00683-01/D; Conferencista em "Qualidade das águas"; Especialista em Biotecnologia-C.R.Bio 01; Analista Clínico - Hosp.Clínicas SP; Professor de Biologia e Ciências-L-94.718-DR 5 - MEC, desde 1975; Consultor, professor e colunista; Memorista-AGMIB/Assoc. Grupo de Mem. do Itaim Bibi/SP; Graduando em Jornalismo/FaPCom

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: