BONITO / MS

31�

21�

quarta, 27 de outubro de 2021

quinta, 26 de agosto de 2010

Projeto Miranda

Projeto visa traçar um diagnóstico da situação ambiental do Rio Miranda dentro do Município de Bonito

O Projeto Miranda, realizado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Bonito visa contribuir para a melhoria das condições ambientais de um dos maiores rios do Estado de Mato Grosso do Sul. O objetivo deste projeto é traçar um diagnóstico do Rio Miranda e suas margens para que, com base nestas informações, sejam definidas áreas críticas, que necessitam de intervenção urgente dos órgãos ambientais, e pontos de monitoramento para o acompanhamento contínuo de alguns indicadores.

A Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Miranda pertence à Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai e envolve o território de 23 municípios do Estado de Mato Grosso do Sul (MS), abrangendo cerca de 12% do seu território. O Município de Bonito possui área física de 4.933,9 km2 dos quais 94% fazem parte da Sub-Bacia do Rio Miranda, incluindo seu núcleo urbano.

O Rio Miranda, um dos principais contribuintes desta sub-bacia, possui aproximadamente 697 km da nascente até a sua foz no Rio Paraguai e sua extensão dentro do Município de Bonito é de aproximadamente 280 km, fazendo divisa com os municípios de Jardim, Guia Lopes da Laguna, Nioaque, Anastácio e Miranda.

Segundo informações do IPLAN-MS 2002 /IBGE, as propriedades rurais presentes nesta sub-bacia, dentro do Município de Bonito, estão distribuídas entre as seguintes categorias: 46 propriedades com menos de 10 ha; 226 propriedades com área entre 10 e 100 ha; 337 propriedades com área entre 100 e 1.000 ha; 122 propriedades com área entre 1.000 e 10.000 ha e 3 propriedades com mais de 10.000 ha. O uso dos recursos hídricos desta sub-bacia em Bonito se divide em 14% para uso urbano, 2% para uso rural, 23% para irrigação e 61% para dessetentação de animais.

Até o momento o Projeto Miranda já percorreu cerca de 160 km de Rio Miranda, em duas expedições, com duração de três dias cada. Em campo está sendo observado o estado de conservação da mata ciliar, áreas com desbarrancamento, pontos de erosão, bebedouros de gado, pontos de assoreamento, construções na área de preservação permanente (margens do rio), entre outras irregularidades identificadas no local. Além disso, estão sendo catalogados os afluentes e grotas que desembocam no Rio Miranda. Todos os pontos observados são descritos, fotografados, georreferenciados e alocados em imagens de satélite da região.

Entre os principais problemas detectados no Rio Miranda, até o momento, estão: desmatamentos no entorno do rio, substituição da mata ciliar por pastagens, presença de inúmeros bebedouros de gado, desbarrancamentos e assoreamentos em vários pontos do rio e presença de infra-estrutura em suas margens.

Exemplos de irregularidades ambientais encontradas no Rio Miranda: (A) abertura da área de preservação permanente com trator, provavelmente para servir como bebedouro de gado; (B) área de preservação permanente sem mata ciliar.

Apesar dos inúmeros problemas verificados no Rio Miranda, ainda existem propriedades muito bem conservadas e extensas áreas de mata em seu entorno, oque facilitará o trabalho de recuperação da mata ciliar em áreas adjacentes e também serve como exemplo de que é possível conciliar as atividades desenvolvidas nas propriedades rurais e a conservação da região.

Assim que forem finalizadas as expedições de diagnóstico ao Rio Miranda, terá início o trabalho de visitas às propriedades onde foram identificadas irregularidades. Esta fase contará com o apoio da promotoria de justiça e com a colaboração dos proprietários para a regularização ambiental das propriedades.

Este trabalho está sendo realizado pela equipe de Bonito da Secretaria de Estado, Meio Ambiente e Recursos Hídricos - Instituto Meio Ambiente Pantanal e acompanhada pela Polícia Militar Ambiental - Bonito. Além disso, conta com o apoio da Promotoria de Justiça de Bonito, Conselho da Comunidade de Bonito, PROMAP, Fundação Neotrópica do Brasil, SEMAP e Posto Locatelli, que colaboraram com recursos financeiros e empréstimo de materiais para sua realização.


Equipe do Projeto Miranda: João da Rocha, José Vandenir (Liu), soldado Arizoli e Angela Pellin.

COLUNISTA

Angela Pellin

angela@portalbonito.com.br

Angela Pellin, Bióloga e Especialista em Biologia da Conservação. Já trabalhou na Secretaria de Estado de Meio Ambiente em Bonito e na Fundação Neotrópica do Brasil, com sede em Bonito. Atualmente é doutoranda do Programa de Ciências da Engenharia Ambiental da USP, onde desenvolve um projeto com as Reservas Particulares do Patrimônio Natural do Estado do Mato Grosso do Sul.

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: